Mundo digital: comunicação para smartphone

O uso de smartphones se popularizou e hoje é quase impossível não utilizar os dispositivos para se comunicar, se informar e compartilhar conhecimento. De acordo com a 29ª Pesquisa Anual de Administração e Uso de Tecnologia da Informação nas Empresas, divulgada pela Fundação Getúlio Vargas, o Brasil conta hoje com 220 milhões de celulares em funcionamento, o que reforça a necessidade de as empresas ajustarem a comunicação para falar com o público conectado.

O estudo The Global Mobile Report, realizado pela comScore, mostra que o mobile já ocupa 73% do tempo online do brasileiro, isso é reflexo da utilização dos dispositivos para as tarefas do cotidiano. São informações preciosas para as empresas promoverem campanhas com estratégias de comunicação focadas para o público que abre mão de outros canais em troca da praticidade dos aparelhos móveis.

Para acompanhar a modernização, as possibilidades de oferecimento de informação se diversificaram e se expandiram para o marketing de conteúdo. Uma expansão que também possui limites, os chamados algoritmos – que permitem ao público selecionar o que é relevante para ele, isso fez com que os planos de branded content se tornassem essenciais ao planejamento da comunicação, seja em estratégias de redes sociais ou em publicação de conteúdo em sites e blogs.

Na Stampa é percebido o aumento do investimento no marketing de conteúdo, clientes como AGCO, Syndic, LC Odontologia, Unimassey e Maga Cristal utilizam campanhas com estratégias digitais para se aproximar do público conectado. Revistas digitais, como a Campo Aberto e a Valtra & Você, com conteúdos exclusivos em vídeos, áudios, matérias, galeria de imagens e outras informações pontuais são publicadas, pela Stampa, para o cliente AGCO, que inova também na parte técnica, catálogos e folhetos receberam versões digitais para mobile. A evolução é constante para acompanhar um público dinâmico e que anseia por inovações.

“O melhor marketing não parece realmente marketing”, diz Seth Godin, autor de livros sobre negócios e fundador de uma das primeiras empresas de marketing online do mundo. A frase, enfatiza a necessidade de gerar interesse no público, muito mais do que vender é oferecer experiência, conhecimento e necessidades que melhoram o cotidiano das pessoas.

Anúncios

Revista corporativa: informação especializada para gerar leads

O marketing de conteúdo é, atualmente, a principal ferramenta de comunicação das empresas com seus clientes e leads. Muito mais do que apresentar a marca há a contribuição de informações relevantes e pertinentes ao mercado. E, em meio a tanta poluição sonora e visual as organizações estão, cada vez mais, selecionando os caminhos que o marketing deve seguir. Isso vem promovendo a troca do marketing tradicional pela produção de conteúdo especializado. Exatamente nesse ponto é que se inserem as revistas corporativas.

Em entrevista publicada no site institucional, Mario Persona, consultor, escritor e palestrante, destaca a importância do veículo de comunicação para as marcas: “empresas que compartilham conhecimento são respeitadas pelo público que é, de alguma forma, auxiliado pela informação que essas revistas transportam. O sentimento é o mesmo criado por pessoas que compartilham conhecimento”.

A revista corporativa, além de atrair leads e aproximar clientes de forma voluntária, também transmite quatro características ao público: que a empresa é séria, que tem conhecimento sobre o mercado em que está inserida, que se preocupa em levar informação relevante ao cliente e que não pensa somente em vender, mas sim em encantar, entreter e cativar.

Inbound marketing

As estratégias de inbound marketing (marketing de atração) estão ganhando muita força: as empresas estão apostando na conquista dos leads e na fidelização dos clientes, em vez de bombardeá-los com anúncios. As organizações não querem mais ser autoridade perante as pessoas, mas parceiros e, por que não, amigos? É o legítimo “alguém que você pode contar e confiar”. Nessa metodologia, o cliente procura a empresa que tem mais proximidade dele.

Mundo digital

A tecnologia evolui a passos largos e acompanhar essa constante mudança é uma tarefa árdua, mas pode ser recompensadora. Sabe-se que a publicação de conteúdo em redes sociais tem limites, segue diretrizes e depende de uma série de variáveis para conquistar de fato o público. Contudo, é possível transformar esse cenário. As revistas corporativas se tornaram também digitais, com formatos dinâmicos, encantadoras e de fácil distribuição. Os textos envolvendo vídeos, links, imagens, animações e muitos recursos digitais transformam-se em conteúdo multimídia, de fácil acesso e em potencial de conquista ilimitado. Publicada na internet e divulgada em arquivos de pequeno porte, que podem ser distribuídos via WhatsApp, Messenger e aplicativos, de forma rápida e sem necessidade de grande volume de dados, as revistas digitais também se tornam economicamente viáveis às empresas.

THA1.gif

“O Google recompensa os sites que produzem conteúdo de qualidade”, Neil Patel.

A comunicação se transformou com a imersão no digital e, agora, é possível estar onde o cliente está. Neil Patel, um dos maiores nomes do mundo do marketing online e um empreendedor de grande sucesso nos Estados Unidos, descreveu a importância do marketing digital e da produção de conteúdo em entrevista à redação do portal E-Commerce Brasil: “hoje em dia, o conteúdo não é apenas importante, é extremamente importante. É uma obrigação. Produzir conteúdo de qualidade é uma forma das empresas ou marcas demonstrarem para os clientes em potencial que eles sabem do que estão falando. É uma forma de estabelecer confiança e liderança. Além do grande benefício de se conectar com um leitor através de um artigo bem escrito, esse mesmo artigo pode ajudar a sua empresa/produto/serviço a aparecer no Google acima de sua competição”. Ele completa dizendo que marketing de conteúdo e SEO andam juntos. “Um conteúdo aprofundado, que agrega valor a um leitor e responde às suas perguntas é preferível aos olhos dos algoritmos de busca do Google. Há muito tempo, profissionais de marketing e SEOs simplesmente colocavam várias palavras-chave nos sites e apareciam rapidamente nos resultados de pesquisa. O Google aprendeu rápido e programou novas regras para seu algoritmo. Agora, o Google recompensa os sites que produzem conteúdo de qualidade”, conclui. (Leia a entrevista completa aqui)

Revista Holder: um case de sucesso da Stampa

Com conteúdo especializado, as empresas do Getúlio Vargas Prime Offices, em Porto Alegre, se apresentam aos clientes e aos leads por meio da Revista Holder. Esclarecendo dúvidas e abordando temas pertinentes, geram interesse e atraem a atenção do público que se propõe a ler e buscar mais informações com quem realmente entende do assunto.

A publicação distribui dois mil exemplares aos condomínios corporates em Porto Alegre (RS) e a diversos negócios locais. Ao contrário de um folheto que ficaria no hall do escritório, a Revista Holder conquista o leitor pelo glamour e pelos conteúdos sobre negócios e atividades empresariais, o que contribui com a divulgação das marcas contidas nas editorias e dos anunciantes. Ampliada para revista digital, você confere as publicações no site!

Push notification: mensagem na tela do celular

A ferramenta funciona basicamente com o envio de mensagens que aparecem na tela de entrada do celular. Se despertar o interesse do usuário, ele irá clicar nas notificações e será redirecionado para o aplicativo ou página da marca.

push

As mensagens geralmente contêm os seguintes elementos: imagem, título e o texto. Se usado adequadamente, o método pode gerar um número considerável de cliques. Contudo, é preciso cautela para não provocar a rejeição do seu produto ou serviço ao lotar a tela dos smartphones. Por isso, não envie em excesso e em horário inadequado e não trate o público como homogêneo. A customização e o direcionamento são pontos-chaves do push notification.

Como funciona

Ao instalar determinado aplicativo, o usuário opta por receber ou não as notificações. Caso ele mude de ideia ao longo do tempo, poderá desativá-las nas configurações. Ao contrário do SMS, a mensagem poderá ser personalizada visualmente.

Usuários ativos

De acordo com o infográfico disponibilizado pela Infobase Interativa, a geração nascida após 1982, conhecida como Millennial, é a mais adepta a esse tipo de comunicação. Segundo a pesquisa, 84% respondem, de alguma forma, às notificações, 61% preferem receber cupons e ofertas e 61% tem interesse em receber as ofertas aliadas a programas de fidelidade.

 

Você sabe usar o Google Adwords?

Quando se faz uma busca no Google, uma pequena lista com sugestões é oferecida em primeiro plano ao usuário. Esses são os resultados pagos. Os anúncios são sinalizados com uma etiqueta amarela, verde ou vermelha para indicar que não são orgânicos, mas sim selecionados.

ezgif-com-resize

O Google Adwords funciona, de forma resumida, assim: o anunciante paga somente se o usuário clicar no anúncio. Os anúncios são escolhidos pelo Google por meio das palavras-chave definidas previamente na criação da campanha. A ferramenta leva em conta alguns critérios para a avaliação, incluindo o valor definido para cada clique e também a relevância do assunto. Ou seja, não basta investir R$ 100 mil e o conteúdo ser de má qualidade. É preciso aprofundar e tornar os assuntos interessantes.

A Resultados Digitais citou sete passos para colocar uma campanha efetiva no ar, são eles: checklist, brainstorm de pesquisas (escolha uma ou duas ofertas e avalie de que forma o público pesquisaria por elas), estratégia de pesquisa (defina detalhes da campanha – oferta, objetivo, meta, métricas e orçamento), palavras-chave (comece com poucas se o orçamento mensal for baixo), anúncios (elabore temas relevantes para cada grupo de anúncio, a fim de personalizar), acompanhe as conversões e publique a campanha.

Leitura na palma da mão

Na correria do dia a dia, ter tempo para ler um livro pode ser muito difícil. Por isso, os e-books estão se tornando febre entre os usuários. Podendo ser acessados em tablets, smartphones e computadores, os livros eletrônicos ganham espaço entre os leitores brasileiros.

Pensando nisso, a Amazon disponibilizou mais de 100 livros gratuitos e em português para download no site. “As Memórias Póstumas de Brás Cubas” e “A Pianista”, de Machado de Assis, estão entre as obras que podem ser baixadas sem custos.

Confira, abaixo, outros seis sites para fazer o download gratuito de livros.

Saraiva – A livraria disponibiliza 145 títulos para download. Basta se cadastrar no site, fazer o download do aplicativo Saraiva Digital Reader, escolher o livro e clicar em comprar. No caso dos e-books gratuitos, o valor R$ 0,00 aparecerá.

Machado de Assis – Uma parceria entre o MEC e o Portal Domínio Público reuniu contos, romances, poesias e crônicas do autor em um só lugar. O material pode ser baixado de forma gratuita no site.

Biblioteca Mundial Digital – Conta com um vasto arquivo histórico, desde obras como “Os Lusíadas”, de Luís de Camões, até imagens da Princesa Isabel, filha de Dom Pedro II. O site também oferece diversos arquivos em vários idiomas, como bielorrusso e o bósnio.

Project Gutenberg – O projeto Gutenberg tem mais de 50.000 obras gratuitas, porém todas são em inglês.

Unesp Aberta – Disponibiliza material pedagógico gratuito e foi desenvolvido para os cursos da instituição.

Domínio Público – Oferece clássicos da literatura brasileira e do mundo. Há pelo menos 350 obras para download.

Praticidade que não ocupa espaço

A possibilidade de assistir a vídeos e ouvir músicas sem precisar baixar vem se tornando febre entre o público. O serviço de streaming transmite imagem e som sem a necessidade de realizar um download, ou seja, tudo é online, o que garante praticidade e não ocupa memória no dispositivo utilizado.

O nome streaming deriva de pacotes, já que a informação é recebida em partes e reproduzida. Acredita-se que o pioneiro neste tipo de exibição tenha sido o Progressive Networks, hoje conhecido como RealNetworks, que desenvolveu em 1985 o primeiro streaming de som no programa Real Audio e em 1995 a primeira transmissão do tipo em vídeo com o jogo de baseball entre New York Yankees e Seattle Mariners.

Atualmente, gigantes como Netflix e Spotify são queridinhos entre os usuários devido aos preços acessíveis e à grande variedade de filmes e álbuns disponíveis. No caso do Spotify, também há possibilidade de manter conteúdo offline, o que é útil em lugares onde o wi-fi não está disponível ou na ausência da rede móvel.

Entre os serviços streaming de áudio conhecidos encontra-se o Tidal, que contém mais de 25 milhões de músicas e 85 mil clipes e é o favorito de grandes nomes da música como Rihanna e Beyoncé, que lançaram seus trabalhos mais recentes pelo aplicativo.

O iTunes da Apple e o Play Música do Google também fazem parte da categoria, pré-instalados em suas plataformas (no caso da Apple: Macbooks, iPhones e iPads. No caso do Google: smartphones e tablets) reproduzem conteúdo baixado, mas contam com um acervo pago.

No quesito filmes existem vários sites que prestam o serviço, dentre eles está um dos mais conhecidos e acessados do mundo, o YouTube, que permite acesso a filmes gratuitos e pagos em HD. Outro site bastante renomado é o da HBO, que permite assinantes do canal assistirem a conteúdos da emissora online.

A história (doce) do Android

Presente em 80% dos smartphones no mundo, o sistema operacional do Google iniciou suas atividades oficialmente em 2008. O lançamento do Astro permitia acesso à janela de interações, conexão com o Gmail e uma central de aplicativos chamada Android Market.

Porém sua história começa cinco anos antes, quando Andy Rubin, Rich Miner, Nick Sears e Chris White fundaram a Android Inc. em outubro de 2003 na Califórnia. A proposta era desenvolver sistemas operacionais secretamente. Em 2005, o Google se lançou no mercado de softwares para dispositivos móveis, comprando a empresa. Desde então, onze versões foram lançadas.

Ao longo destas edições, o software evoluiu, adquirindo funcionalidades para atender os usuários. Hoje, ele atua como um “minicomputador”, aceita comandos por voz, aplicativos de música, acesso a e-mails, criação de documentos de texto e tabelas, sincronização de contatos, entre outros.

Após o Astro, todas as versões do sistema passaram a receber nomes de sobremesa em ordem alfabética. O primeiro foi o 1.5 Cupcake, em 2009, depois foram lançados o 1.6 Donut, 2.0 Eclair, 2.2 Froyo, 2.3 Gingerbread, 3.0 Honeycomb, 4.0 Ice Cream Sandwich, 4.1 Jelly Bean, 4.4 KitKat, 5.0 Lollipop e o mais recente, 6.0 Marshmallow.

Dentre as curiosidades que rondam o maior sistema operacional mobile do mundo estão os nomes de doces que não foram aceitos, como Lemon Drop, Lemon Meringue Pie e Licorice, excluídos pelas versões recentes.  Outra é a possibilidade de programar para o Android de graça. Ao contrário do iOS, que cobra dos desenvolvedores, o sistema do Google tem plataforma gratuita para criação de jogos e aplicativos.

Confira algumas dicas para aperfeiçoar o uso do sistema:

  •  Colocar o telefone em modo avião ajuda a carregar o smartphone mais rápido.
  •  Quando estiver no trabalho ou em casa, pode ativar a opção Smart Lock. Com ela, o celular adiciona lugares confiáveis à lista e desativa o bloqueio de tela.
  •  O software possibilita que o usuário ative o localizador em caso de roubo, basta instalar o Gerenciador de Dispositivos Android e acompanhar pela internet.
  • Com o comando de voz, você pode ativar o alarme, basta clicar no microfone e dizer “Me acorde às 8h da manhã”, e o telefone ativa o alarme automaticamente.

Assistente pessoal tecnológica ajuda nas tarefas diárias

Cortana, Google Now e Siri são as assistentes pessoais mais conhecidas no mundo dos smartphones. Usuários de Windows Phone, Android e iOS, respectivamente, conhecem esses nomes e recorrem regularmente às funções. Mas você sabe o que a elas fazem?

O software realiza tarefas por comando de voz, o que possibilita ao dono utilizar funções simples do telefone sem precisar digitar. Agenda compromissos, ativa o alarme, informa sobre a previsão do tempo e reproduz músicas, dentre outras atividades.

A Siri é a mais velha, famosa e geniosa entre as três. Criada em 2010, atende de forma mais natural ao usuário e responde a perguntas pessoais com um tom ácido. Entretanto, a versão em português do aplicativo ainda deixa a desejar, com uma voz robótica bem diferente da versão em inglês.

O Google Now responde com clareza e agilidade para donos da versão Android 4.1 em diante, é capaz de formular frases e abrir programas, porém de maneira impessoal, o que causa constrangimento a alguns adeptos.

Já a Cortana é a mais nova no segmento, a aposta da Microsoft é adepta também ao Xbox e ao sistema operacional Windows 10. Além disso, assim como a Siri, a assistente consegue utilizar o humor em suas respostas.

As gigantes fazem parte do cotidiano e já têm uma posição consolidada entre seus discípulos, mas o mundo digital começa a desbravar outras atendentes. Entre os destaques está Tina, conhecida por ser revoltada. Ela atende aos mesmos comandos que as outras assistentes, porém sempre se mostra descontente e mal-humorada, o que já ocasionou mais de 100 mil downloads e tem feito sucesso.

Outro assistente que se vem se colocando entre os principais é o S Voice, da Samsung, que acaba de entrar de no mercado e, assim como os outros, atende aos comandos básicos e vem ganhando espaço por suas respostas picantes.

Empresa desenvolve tablet ultraresistente movido à energia solar

O avanço da tecnologia propiciou a criação de uma infinidade de modelos de smartphones, tablets, computadores e demais aparelhos eletrônicos. Os equipamentos estão cada vez mais personalizados de acordo com a demanda do cliente, que anseia por novidades a todo o instante. Ao mesmo tempo, as empresas investem em tecnologia aliada ao meio ambiente, pensando em estratégias sustentáveis para minimizar o impacto na natureza.

A Sqigle INC está desenvolvendo um tablet super-resistente movido à energia solar. A promessa é que o equipamento seja “o tablet da sobrevivência em campo”, ideal para quem viaja com frequência. Denominada Earl, a máquina terá conexão sem fio e duas vias walkie-talkie para comunicação com usuários de outro modelo.

A proteção externa do aparelho evita que entre água ou lama no sistema, que terá o Android como padrão operacional. A empresa está movimentando um financiamento coletivo para viabilizar o projeto. As pré-encomendas podem ser feitas no site oficial da companhia.

Snapchat e Periscope são soluções para vídeos em smartphones

O mundo dos aplicativos para smartphones e tablets apresenta novidades em uma velocidade gigantesca. Os lançamentos e atualizações trazem soluções para velhos problemas ou despertam novas necessidades. Atualmente, dois apps estão em evidência: Snapchat e Periscope.

O Snapchat não é tão jovem, foi lançado em 2011 para ser um misto de rede social e chat com imagens e vídeos que desaparecem depois de visualizados. Usuários da plataforma Android e iOS podem fazer o download nas respectivas Google Play e App Store de forma gratuita. Para participar, basta fazer o cadastro. Logo no primeiro login os contatos da agenda que possuem o Snapchat já ficam disponíveis.

Os vídeos do Snapchat podem ter no máximo 10 segundos de duração, e as fotos devem ser tiradas na hora, sem possibilidade de usar arquivos já salvos no aparelho. Se fizer print screen na tela, o amigo que enviou a imagem vai receber um aviso. Nem mesmo as conversas do chat ficam salvas. Durante a cerimônia do Oscars 2016, o Snapchat lançou uma novidade: os snaps das Live Stories podem ser vistos pela web. O player tem duas funcionalidades bacanas – se deixar a aba aberta, ele pausa e mostra a mensagem “Still Watching?” e borra a imagem ao pausar, evitando screenshots.

No Periscope, a proposta é diferente. O aplicativo lançado em março de 2015 pelo Twitter tem o objetivo de transmitir e ver vídeos ao vivo. Contudo, as gravações ficam disponíveis somente por 24 horas no servidor do aplicativo. Durante o live streaming, quem está assistindo consegue interagir no chat. A ferramenta também pode ser baixada nas lojas Google Play e App Store. Para acessar o Periscope, é necessário ter uma conta no Twitter.