Em busca de medalhas

A largada para as Olimpíadas 2016 já foi dada pela equipe da Sogipa. Os técnicos estão preparando os competidores para disputar vagas e garantir o bom desempenho durante a competição. Por meio da Lei Federal do Esporte, a Sulgás é patrocinadora da equipe, contribuindo na busca por um lugar no pódio.

Segundo o vice-presidente de esportes da Sogipa, Alexandre Algeri, o clube porto-alegrense é o maior em medalhas olímpicas do país. “Existem trabalho e planejamento com competência e um pouco de sorte aliadas”, declara. A Sogipa disponibiliza aos atletas uma equipe multidisciplinar com treinadores, fisioterapeutas, fisiologistas, nutricionistas, psicólogos e também com atendimento em um centro médico.

Com o apoio da Sulgás e de outras empresas, a instituição pode oferecer aos esportistas: moradia, alimentação, condição para intercâmbios e viagens em âmbito nacional e internacional. “A nossa diferença com relação aos outros clubes do Rio Grande do Sul é que os nossos atletas buscam por medalha, não lutam apenas por participar de uma Olímpiada. Já estão em outro nível de capacitação”, diz Alexandre.

Atletismo e judô

A equipe do atletismo se prepara intensamente para disputar as vagas para os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro. Para potencializar o desenvolvimento dos competidores, a Sogipa instalou uma pista apropriada para corrida, aparelhos para verificar velocidade, biomecânica e contato dos pés com o solo e esquema de visualização de vídeos.

O fato de a competição acontecer em solo brasileiro é um ponto em destaque para Leonardo Ribas, treinador de atletismo do clube. “Participar de Jogos Olímpicos é difícil, mas na sua casa é ainda mais raro de acontecer. Eles vão sofrer mais pressão, mas, por outro lado, estarão mais ambientados com o clima, e a torcida vai estar a favor deles”, afirma. Os atletas consagrados do judô na Sogipa estão em busca de vitórias com quatro judocas prontos para disputar medalhas. Os treinamentos rígidos de técnica e tática preparam os jovens para subir ao pódio no Rio de Janeiro.

Segundo Antonio Carlos de Oliveira Pereira, conhecido como Kiko Pereira, treinador de judô da Sogipa, a expectativa de conquistar medalhas nas Olimpíadas é positiva, destacando a dedicação dos atletas para ficarem entre os primeiros. “Eles são profissionais, só pensam nisso, só fazem isso. O esporte olímpico trabalha de quatro em quatro anos com o foco total.”

atletismo (35 of 53)O atleta Pedro Burmann já confirmou presença nas Olimpíadas 2016 na categoria 400 Metros Rasos. Com uma rotina de treinos intensos no atletismo, prepara-se para buscar a classificação no individual. Pedro começou a correr ainda na época da escola e, após encerrar os estudos, participou de testes na Sogipa para se tornar um esportista do clube. O atleta passou por várias modalidades até se encontrar no atletismo. “Eu sempre fiz muita coisa, já fui ciclista, lutava taekwondo e depois o atletismo. Bastante tempo da minha vida é voltado ao esporte”, diz. O esportista percebeu que o atletismo seria sua carreira logo no primeiro ano treinando no clube. “Eu não treinava tanto, mas mesmo assim consegui ir bem em algumas competições e vi que se eu me dedicasse mais conseguiria ir para frente.”

A judocaJUDO-48 Maria Portela está preparada para disputar lugar nas Olimpíadas 2016. Com treinos diários na categoria Peso Médio -70kg, a esportista mantém uma rotina focada na competição. O primeiro contato com o esporte foi ainda na escola, em Santa Maria (RS). “Eu e meu irmão começamos e, desde então, não parei mais. Treinei em vários núcleos até o ponto em que decidi que o judô seria minha profissão”, relata. Maria participou das Olimpíadas 2012, em Londres, mas não conquistou medalhas. “Acabei não me preparando para esse grande evento como deveria. Agora está sendo diferente, porque o Brasil já tem vagas garantidas e eu estou na disputa com outra brasileira”, diz. Sobre a expectativa de medalha, Maria afirma que ter a torcida a favor contribui para um desempenho melhor. “Acredito na minha classificação e, mais ainda, na conquista da minha medalha olímpica”, conclui.

_MG_3491Rochele Nunes, judoca que busca a classificação nos Jogos Olímpicos na categoria Pena +78kg, pratica o esporte desde os 8 anos. O judô se tornou “coisa séria” para ela aos 16 anos, quando percebeu que abria mão de atividades com amigos e família para se dedicar à modalidade. Sobre a classificação, Rochele destaca que atualmente é a primeira no ranking do Brasil. “Eu me sinto hoje mais preparada do que antes. Eu competi bastante, tive boas oportunidades e agora vou ver mais resultados.”

atletismo (40 of 53)Na disputa por uma vaga nas Olimpíadas, o atleta Anderson Freitas Henriques retorna às pistas para buscar a melhora das marcas na categoria 400 Metros Rasos. Afastado por lesão nos dois pés, o esportista se diz recuperado e disposto a se dedicar o máximo possível para alcançar os resultados. “Eu estou me sentindo bem e conseguindo voltar bem rápido pelo tempo que eu fiquei parado”, afirma. Natural de Caçapava do Sul (RS), Anderson começou a dar os primeiros passos no esporte com 14 anos na escola onde estudava. Ele percebeu que o atletismo poderia ser sua carreira quando passou a receber o reconhecimento pelas suas marcas. “No primeiro ano, já consegui ficar entre os dez do mundo na minha categoria e já começaram a vir bonificações tanto do clube quanto fora.”

JOGOS OLÍMPICOS 2016

  • Quando: 5 a 21 de agosto
  • Onde: Rio de Janeiro
  • São disputadas: 306 medalhas de ouro
  • Categorias: 42 esportes

Matéria produzida pela Stampa e publicada na revista Sulgás Natural, ed. 9, da Sulgás.