Por que sua empresa precisa ter identidade visual?

Pelo que você identifica uma empresa? Nome? Cor? Logotipo? Slogan?

A identidade visual bem definida é o ponto-chave para o reconhecimento de uma empresa. Isso porque contribui para que ela crie um vínculo com o público. A Adidas, por exemplo, é conhecida mundialmente pelas três listras. A Apple, pela maçã mordida.  A Motorola, pelo M. A Hyundai pelo H. As estratégias foram amplamente discutidas antes de chegar ao consumidor e, pelo que podemos perceber, são um sucesso.

Mas primeiro vamos definir o que é identidade visual. Ela é o conjunto de símbolos, cores, elementos, textos, imagens ou quaisquer formas que representem os valores e ideais de uma empresa. A identidade ajuda a passar credibilidade ao cliente, que visualiza a empresa como uma instituição séria e com um nome no mercado. Ter uma marca versátil, equilibrada e forte é essencial para criar envolvimento com o cliente. O objetivo final deve ser tornar sua empresa reconhecida, pela identidade visual, em qualquer lugar do mundo, vide cases da Coca Cola, da Nike ou da Samsung.

Dicas importantes sobre o tema:

  • Procure profissionais especializados para criar sua identidade. A Stampa possui uma equipe pronta para criar do zero a sua imagem no mercado.
  • Pense sua identidade visual baseada em cores, tipologias, elementos gráficos e imagens que realmente tenham ligação com o seu negócio.
  • Padronize toda a sua comunicação. Por exemplo, se sua marca são duas linhas vermelhas, insira-as em todos os materiais, sejam eles folders, cartões, posts etc.
  • Busque por cores que façam sentido com o que você quer vender. Por exemplo, se seu negócio é sobre saúde, busque por tons que representem vida e tranquilidade. Se for exercício, opte por elementos que passem a ideia de energia, força e vitalidade.
  • Não abuse de elementos gráficos. Sua marca deve ser versátil, não poluída. Menos é mais.
  • Busque se diferenciar no mercado. Se a Adidas utiliza três listras, invista em outro elemento. Uma boa pesquisa no Google pode ajudar a resolver isso.

Evolução de marcas consolidadas no mercado 

562207_248387565277098_2071359107_n

marca2

evologos-17

 

Anúncios

Bullet journal: uma forma criativa de organizar a rotina

O Carnaval passou, e agora a rotina volta completamente ao normal. Para não se perder nos compromissos e nos planos para o resto do ano, é preciso ter uma agenda atualizada e organizada conforme as datas e objetivos.

Existe uma forma criativa para se planejar: o bullet journal. O sistema foi criado pelo designer Ryder Carroll para registrar as ideias e os trabalhos a realizar. Para fazer o bullet jornal, utilize as páginas de um caderno para inserir o dia e o que precisa ser cumprido. Após, coloque os ícones para indicar o andamento da atividade.

Ryder organizou da seguinte forma:

compromissos

[  ] tarefas

informações importantes

* prioridade

! atenção

concluído

-> adiado

x cancelado

Confira alguns modelos de bullet journal e faça o seu!

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

Empreendedorismo: como evitar os erros de principiante

Startup Stock Photos

Ao começar um negócio pela primeira vez é comum passar por um tempo de adaptação. Empreendedores de primeira viagem tendem a cometer os mesmos erros por falta de experiência. Confira como evitar os dez deslizes mais comuns para quem está começando:

1) Não conhecer bem o mercado – Antes de abrir uma empresa, conheça bem o terreno em que está pisando.

2) Apaixonar-se pelo negócio acima de tudo – Gostar do trabalho é essencial para abrir o próprio negócio. No entanto, isso pode ser um problema caso bloqueie a visão sobre o mercado. Objetividade é fundamental para fazer a empresa andar.

3) Achar que o dinheiro entra imediatamente – Eis um erro de quem abre a própria empresa. Até o negócio começar a lucrar de verdade pode demorar meses. Paciência é a chave para o sucesso.

4) Trabalhar excessivamente – Outro erro comum é acumular tarefas demais. Saber tudo o que acontece na empresa é importante, mas cuidar de si mesmo também.

5) Deixar tudo pela metade – É preciso ter foco e determinação para fazer o negócio andar. Tratar a própria empresa como algo paralelo não é o ideal.

6) Comodismo – Inovar é essencial para quem está começando. Buscar alternativas e pensar fora da caixa podem ser interessantes para encontrar soluções e aprimorar conhecimentos.

7) Buscar a perfeição extrema – A excelência do produto conta (e muito) para fidelizar o cliente e formar a imagem da marca. Contudo, ficar muito tempo trabalhando no produto sem lançar pode ser prejudicial. Teste! Feedback é a melhor forma para qualificar cada vez mais.

8) Achar que o preço baixo conquista o cliente – Um valor atrativo tem o seu espaço, mas é necessário prender o cliente por outros motivos como a qualidade do produto e do serviço.

9) Comprometer muito dinheiro logo de cara – Ao ver resultados, é natural se empolgar e querer investir. Todavia, ter cautela é indispensável. Não é preciso ser pessimista, mas ir aos poucos é saudável.

10) Organização é tudo – Conhecer as áreas do negócio e manter tudo em dia são fundamentais para o bom andamento da empresa. Pagar um profissional para cuidar das contas da empresa pode ser um investimento.

Fonte: http://exame.abril.com.br/pme/noticias/12-erros-que-muitos-empreendedores-de-primeira-viagem-fazem