A veracidade por trás de abril

Foto: Fotolia.

Hoje é o Dia da Mentira, mas você sabe qual é a origem da data? Pois bem, os primeiros registros são documentados na França do século XVI, quando o Ano Novo era festejado com a chegada da primavera, em 25 de março. Como as festas duravam uma semana, o 1° de abril ficou conhecido pela celebração.

Em 1562, o papa Gregório XIII instituiu o calendário gregoriano e, em 1564, o rei Carlos IX determinou que a festa fosse comemorada em 1° de janeiro, acompanhando a decisão papal. Muitos franceses recusaram a nova data e passaram a ser ridicularizados, recebendo presentes inóspitos e convites para festas inexistentes.

Na Inglaterra, o jornal The Guardian mantém em seu site os registros de pegadinhas feitas no Fools’ Day desde 1974. Dentre as “legítimas” histórias estão desde fotos do monstro do lago Ness até a comprovação de que espaguete nasce em árvores.

No Brasil, o primeiro gracejo conhecido é de 1848, quando um periódico chamado A Mentira noticiou a morte do então imperador, Dom Pedro II. Outra brincadeira nacional que chamou a atenção foi a edição do jornal Cruzeiro do Sul de 1999, que exibiu na capa o Oscar de Fernanda Montenegro e a elevação do salário para R$ 3 mil.

Em 2016, a brincadeira mais popular é a liberação de todas as temporadas de Game of Thrones da HBO no Netflix, o que causou certo furor nas redes sociais. Entretanto, se você assiste ao Game of Thrones S01E01 – O Muro dá de cara com Glauber, o Tijolo.