Push notification: mensagem na tela do celular

A ferramenta funciona basicamente com o envio de mensagens que aparecem na tela de entrada do celular. Se despertar o interesse do usuário, ele irá clicar nas notificações e será redirecionado para o aplicativo ou página da marca.

push

As mensagens geralmente contêm os seguintes elementos: imagem, título e o texto. Se usado adequadamente, o método pode gerar um número considerável de cliques. Contudo, é preciso cautela para não provocar a rejeição do seu produto ou serviço ao lotar a tela dos smartphones. Por isso, não envie em excesso e em horário inadequado e não trate o público como homogêneo. A customização e o direcionamento são pontos-chaves do push notification.

Como funciona

Ao instalar determinado aplicativo, o usuário opta por receber ou não as notificações. Caso ele mude de ideia ao longo do tempo, poderá desativá-las nas configurações. Ao contrário do SMS, a mensagem poderá ser personalizada visualmente.

Usuários ativos

De acordo com o infográfico disponibilizado pela Infobase Interativa, a geração nascida após 1982, conhecida como Millennial, é a mais adepta a esse tipo de comunicação. Segundo a pesquisa, 84% respondem, de alguma forma, às notificações, 61% preferem receber cupons e ofertas e 61% tem interesse em receber as ofertas aliadas a programas de fidelidade.

 

Anúncios

E-books: formatos para atrair o leitor digital

A evolução do mundo digital nos permitiu avançar na produção de conteúdo. Há muitos formatos disponíveis, e precisamos identificar o melhor para determinado público e assunto.

Para escolhermos a melhor forma de divulgar um tema, primeiramente devemos entender o público que se quer atingir: ele é mais adepto do impresso ou do digital? Se for do impresso, avalie a possibilidade de produzir informativos, revistas, jornais, encartes ou folders. E, se for do digital, pense em postagens nas redes sociais, newsletters, portais, blogs ou e-books.

Os e-books – como o próprio nome diz – são livros eletrônicos que se adaptam facilmente à tecnologia escolhida pelo leitor – softwares (ex: Adobe Reader) ou dispositivos específicos (ex: Kindle). Podem ser produzidas publicações de diversos tipos, literárias ou informativas, alternando textos com fotos, gráficos e links para vídeos, animações ou galerias de fotografias.

Entre os principais formatos estão o ePub, o PDF e o Mobi.

  • ePub: se adapta e se rediagrama de acordo com o tamanho da tela do tablet. O arquivo não perde a formatação nem separa de forma incorreta as sílabas. Empresas como Apple e a Amazon só aceitam esse tipo de arquivo para comercialização. Se o objetivo é vender para dispositivos móveis menores, como smartphones, o ePub também é uma ótima opção devido à maleabilidade do conteúdo.
  • PDF: o formato PDF é padrão para a distribuição segura de documentos eletrônicos. Qualquer pessoa pode visualizar e imprimir, contudo, não existe a possibilidade de alteração. O formato se adapta a várias plataformas e abre gratuitamente pelo Adobe Reader.
  • Mobi: o mobi é o formato exclusivo da Amazon, desenvolvido para ser lido no Kindle, no navegador Kindle Cloud Reader e em aplicativos, que podem ser instalados em computadores ou dispositivos móveis.

img_0117Experiência comprovada

A equipe da Stampa trabalha com a produção de e-books há bastante tempo, desenvolvendo e aplicando as melhores técnicas para atender as demandas dos clientes e proporcionar mais conforto aos leitores. Na produção, atua com o formato ePub para clientes como Sescoop-RS e Editora Atheneu.

Leitura na palma da mão

Na correria do dia a dia, ter tempo para ler um livro pode ser muito difícil. Por isso, os e-books estão se tornando febre entre os usuários. Podendo ser acessados em tablets, smartphones e computadores, os livros eletrônicos ganham espaço entre os leitores brasileiros.

Pensando nisso, a Amazon disponibilizou mais de 100 livros gratuitos e em português para download no site. “As Memórias Póstumas de Brás Cubas” e “A Pianista”, de Machado de Assis, estão entre as obras que podem ser baixadas sem custos.

Confira, abaixo, outros seis sites para fazer o download gratuito de livros.

Saraiva – A livraria disponibiliza 145 títulos para download. Basta se cadastrar no site, fazer o download do aplicativo Saraiva Digital Reader, escolher o livro e clicar em comprar. No caso dos e-books gratuitos, o valor R$ 0,00 aparecerá.

Machado de Assis – Uma parceria entre o MEC e o Portal Domínio Público reuniu contos, romances, poesias e crônicas do autor em um só lugar. O material pode ser baixado de forma gratuita no site.

Biblioteca Mundial Digital – Conta com um vasto arquivo histórico, desde obras como “Os Lusíadas”, de Luís de Camões, até imagens da Princesa Isabel, filha de Dom Pedro II. O site também oferece diversos arquivos em vários idiomas, como bielorrusso e o bósnio.

Project Gutenberg – O projeto Gutenberg tem mais de 50.000 obras gratuitas, porém todas são em inglês.

Unesp Aberta – Disponibiliza material pedagógico gratuito e foi desenvolvido para os cursos da instituição.

Domínio Público – Oferece clássicos da literatura brasileira e do mundo. Há pelo menos 350 obras para download.

A história (doce) do Android

Presente em 80% dos smartphones no mundo, o sistema operacional do Google iniciou suas atividades oficialmente em 2008. O lançamento do Astro permitia acesso à janela de interações, conexão com o Gmail e uma central de aplicativos chamada Android Market.

Porém sua história começa cinco anos antes, quando Andy Rubin, Rich Miner, Nick Sears e Chris White fundaram a Android Inc. em outubro de 2003 na Califórnia. A proposta era desenvolver sistemas operacionais secretamente. Em 2005, o Google se lançou no mercado de softwares para dispositivos móveis, comprando a empresa. Desde então, onze versões foram lançadas.

Ao longo destas edições, o software evoluiu, adquirindo funcionalidades para atender os usuários. Hoje, ele atua como um “minicomputador”, aceita comandos por voz, aplicativos de música, acesso a e-mails, criação de documentos de texto e tabelas, sincronização de contatos, entre outros.

Após o Astro, todas as versões do sistema passaram a receber nomes de sobremesa em ordem alfabética. O primeiro foi o 1.5 Cupcake, em 2009, depois foram lançados o 1.6 Donut, 2.0 Eclair, 2.2 Froyo, 2.3 Gingerbread, 3.0 Honeycomb, 4.0 Ice Cream Sandwich, 4.1 Jelly Bean, 4.4 KitKat, 5.0 Lollipop e o mais recente, 6.0 Marshmallow.

Dentre as curiosidades que rondam o maior sistema operacional mobile do mundo estão os nomes de doces que não foram aceitos, como Lemon Drop, Lemon Meringue Pie e Licorice, excluídos pelas versões recentes.  Outra é a possibilidade de programar para o Android de graça. Ao contrário do iOS, que cobra dos desenvolvedores, o sistema do Google tem plataforma gratuita para criação de jogos e aplicativos.

Confira algumas dicas para aperfeiçoar o uso do sistema:

  •  Colocar o telefone em modo avião ajuda a carregar o smartphone mais rápido.
  •  Quando estiver no trabalho ou em casa, pode ativar a opção Smart Lock. Com ela, o celular adiciona lugares confiáveis à lista e desativa o bloqueio de tela.
  •  O software possibilita que o usuário ative o localizador em caso de roubo, basta instalar o Gerenciador de Dispositivos Android e acompanhar pela internet.
  • Com o comando de voz, você pode ativar o alarme, basta clicar no microfone e dizer “Me acorde às 8h da manhã”, e o telefone ativa o alarme automaticamente.

Assistente pessoal tecnológica ajuda nas tarefas diárias

Cortana, Google Now e Siri são as assistentes pessoais mais conhecidas no mundo dos smartphones. Usuários de Windows Phone, Android e iOS, respectivamente, conhecem esses nomes e recorrem regularmente às funções. Mas você sabe o que a elas fazem?

O software realiza tarefas por comando de voz, o que possibilita ao dono utilizar funções simples do telefone sem precisar digitar. Agenda compromissos, ativa o alarme, informa sobre a previsão do tempo e reproduz músicas, dentre outras atividades.

A Siri é a mais velha, famosa e geniosa entre as três. Criada em 2010, atende de forma mais natural ao usuário e responde a perguntas pessoais com um tom ácido. Entretanto, a versão em português do aplicativo ainda deixa a desejar, com uma voz robótica bem diferente da versão em inglês.

O Google Now responde com clareza e agilidade para donos da versão Android 4.1 em diante, é capaz de formular frases e abrir programas, porém de maneira impessoal, o que causa constrangimento a alguns adeptos.

Já a Cortana é a mais nova no segmento, a aposta da Microsoft é adepta também ao Xbox e ao sistema operacional Windows 10. Além disso, assim como a Siri, a assistente consegue utilizar o humor em suas respostas.

As gigantes fazem parte do cotidiano e já têm uma posição consolidada entre seus discípulos, mas o mundo digital começa a desbravar outras atendentes. Entre os destaques está Tina, conhecida por ser revoltada. Ela atende aos mesmos comandos que as outras assistentes, porém sempre se mostra descontente e mal-humorada, o que já ocasionou mais de 100 mil downloads e tem feito sucesso.

Outro assistente que se vem se colocando entre os principais é o S Voice, da Samsung, que acaba de entrar de no mercado e, assim como os outros, atende aos comandos básicos e vem ganhando espaço por suas respostas picantes.